Pensamento acelerado, angústia, medo, insônia, déficit de atenção, apreensão, inquietude, aperto no peito e desconforto abdominal. Quem nunca se sentiu um ou uma combinação desses sintomas? São eles que formam a ansiedade, uma resposta normal para diversos acontecimentos da vida, desde que essa resposta seja controlada e por um curto período.

Porém, alguns dados alarmantes nos fazem pensar que a ansiedade está tomando proporções muito maiores no mundo e tornando uma doença extremamente perigosa. Para se ter uma ideia, levantamentos da Organização Mundial da Saúde (OMS), mostram que atualmente cerca de 33% da população mundial sofre de ansiedade. O Brasil tem aparecido sempre entre os primeiros das listas da organização.

Ao longo da minha experiência atuando e lidando diariamente com a ansiedade em meu consultório, pude constatar que a ansiedade é proveniente de três grandes causas: metabólica, emocional e espiritual, as quais devem ser tratadas com os profissionais competentes.

Por exemplo, a causa emocional precisa de um acompanhamento psicológico e a espiritual de que se procure sua Igreja e o conforto da Palavra de Deus. Mas hoje vou me ater à causa metabólica, na qual o médico pode e deve intervir. As manifestações classificadas como físicas da ansiedade podem não ser as mesmas em cada paciente, e comumente estão associadas a diversos estados emocionais, tais como medo, expectativa, ira, tristeza, fobia e muito mais. Essas são seguidas pelas manifestações físicas tais como sudorese, taquicardia, tremores, calafrios e etc. A combinação desastrosa de estados emocionais e manifestações físicas pode desenvolver a síndrome do pânico e a depressão.

Quando falamos em tratamento da ansiedade pela abordagem Ortomolecular, pensamos logo em equilíbrio dos neurotransmissores. A prática Ortomolecular revela que o segredo está nos nutrientes, nas moléculas, nos aminoácidos essenciais, ou seja, no equilíbrio entre eles. Um aminoácido extremamente importante para controlar a ansiedade é o triptofano, um aminoácido essencial utilizado pelo cérebro, juntamente com a vitamina B3, a niacina (ou niacinamida) e o magnésio, para produzir a serotonina, um neurotransmissor importante no processo bioquímico do sono e do humor.

A vitamina B12 também é de extrema importância para o controle da ansiedade no organismo. Ou seja, são esses nutrientes que tem papel fundamental para o controle da ansiedade e devem ser acompanhados pelo médico, pois se somente a alimentação não suprir a necessidade ideal, será preciso suplementar.

E se você acha que esse é um problema exclusivo dos jovens e adultos, ficaria assustado como a ansiedade tem afetado as crianças, que demoram um pouco mais para identificar os sintomas e acabam desenvolvendo outras doenças mais sérias como a obesidade, déficit de atenção e depressão. Por isso os pequenos também precisam ser observados e levados aos profissionais competentes aos menores sinais da doença, para que não haja prejuízos permanentes em sua formação.

Para finalizar, quero ressaltar mais uma vez que a combinação do tratamento das três grandes causas da depressão que elenquei acima (metabólica, emocional e espiritual) é a melhor estratégia para se tratar e reverter os sintomas da ansiedade, para que a doença não evolua para estágios mais agravantes.

Dra. Juliana Lobato

CRM-MT 6918

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.